sábado, 6 de agosto de 2016

Carta àquele que lhe dói os ouvidos.

Cara pessoa,
Se pensas que fiquei ofendida ou triste ou revoltada com a tua atitude infantil de subitamente te aparecer uma doença típicas de miúdos, isto é, uma otite, fica sabendo que estou-me completamente a marimbar. Talvez esse teu problema seja o reflexo do que ainda o és: um puto.

Num passado longínquo eu estaria hiper preocupada com a tua situação. Aquele meu instinto protector e maternal viria ao de cima, tentaria fazer de tudo para amenizar o teu problema. Acontece que à medida que fui envelhecendo (e porque comecei a ganhar calo e insensibilidade em certas situações), deixei de me preocupar tanto com os outros. Sou simpática e posso ser prestável, bem o sabes. No entanto sei ser uma pessoa extremamente insensível. 

Eu estabeleci uma espécie de termómetro que começa em 100ºC. Cada situação que me desagrada, vou baixando a temperatura. Nesse passado longínquo, eu iria reduzindo muito gradualmente, aceitando me auto-humilhar, fazer-me de parva e dando vezes sem conta o benefício da dúvida. Actualmente o meu termómetro reduz a temperatura a uma velocidade muito maior. Rapidamente chega a uma temperatura fria e que não estou disposta a aquecer de novo. Afinal dá trabalho buscar mais lenha. E como reduzo a temperatura? Passando para a indiferença. Começo logo por começar a apagar as tuas mensagens. Posteriormente o teu contacto. Finalmente a esquecer a tua existência. E não te passa pela cabeça o quão rápido consigo fazer isso. "Ah e tal, se gostasses mesmo de alguém não serias tão fria", pensas tu. Meu caro, antes de gostar de alguém, tenho OBRIGATORIAMENTE de gostar de mim primeiro. Sou a principal divindade que devo amar. Depois de mim, sempre os outros. Sempre.  E citando Eleanor Roosevelt, essa mulher tão brilhante quanto qualquer outra mulher, ninguém te pode fazer sentir inferior sem o teu consentimento. E tu não és ninguém para me rebaixar.

Portanto meu caro, o facto de gostar mais de mim do que de ti, faz de mim a jogadora profissional desde tabuleiro. Eu dito as regras, e tu, se queres alinhar no jogo, deves obedecer. No momento em que não me respondes a uma mensagem que te envio de cortesia a perguntar se estás melhor, acredita... está o caldo entornado! Caso não estejas preparado para jogar, ou caso não queiras jogar, agradeço que me avises. Não sou pessoa de perder tempo com pessoas que não merecem...




Alima


0 impressões:

Enviar um comentário