quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Da alimentação infantil

Estava eu a descer as escadas do prédio cá em Lisboa, quando uma das minhas vizinhas abriu a porta quando eu estava a passar pela porta dela.
- Menina, posso lhe pedir um favor? A menina não me conhece nem eu conheço a menina, mas como é vizinha, espero que não se importa de me dar uma ajudinha.

- Sim, o que precisa?- perguntei.
- Eu estou sozinha com o meu bebé e precisava de fórmula da farmácia. Não queria sair com ele porque preciso de ajuda para carregar o carrinho até à saída (o prédio não tem elevador).  O meu marido chega só à noite com uma lata mas o bebé tem fome e eu precisava de uma lata já.

- Com certeza, eu vou à farmácia e compro-lhe isso. Diga-me só que lata compro.

Chego à farmácia, onde estavam uns quatro velhotes, três deles sentados num banquinho a conversar. Aproximei-me do balcão e pedi o que pretendia. A velha que estava próximo de mim,  encostada ao balcão exclama, com nuance de regateira, que mais parecia vendedora no Bolhão do que residente em Lisboa:

- Leite em pó para bebés?! Que coisa mais ridícula! Eu quando tive os meus três filhos nem mama nem leite em pó! Era mesmo leite da leitaria desde que nasceram! Leite da leitaria! E nenhum deles morreu! Era só o que faltava... leite em pó!!!! ahahahaha

- Que sorte que a senhora teve! Até parece que estava à espera que um deles morresse! Que sorte! - digo, despedindo-me dos espectadores com um boa tarde e a tentar sair dali o mais rápido possível.

Gente estúpida... gentinha estúpida...

1 impressões:

Marta Moura disse...

:)

Enviar um comentário