sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Coisas me irritam... mas me irritam mesmo...

Andava eu pelo centro da cidade com a minha mãe, quando encontramos uma amiga dela dos tempos da juventude, com um ar extremamente abatido.

Quando a minha mãe lhe perguntou o que se passava, a senhora pôs-se a desbobinar o estado em que se encontrava o seu marido por causa de uma neo do esófago, que lhe impede totalmente de ingerir alimentos pela boca (coisa bem séria).
"Bla bla bla cirurgia, mas antes quimio mas os médicos ainda não decidiram se uma coisa ou outra primeiro bla bla bla"- disse a senhora.

A minha mãe vira-se para mim e pergunta mesmo em frente à amiga, que me olhava expectante:

- Então Alima, que achas disto? Deveria começar pela quimio ou pela cirurgia?

Minha querida mãe, mas onde é que tinhas a cabeça para me fazeres uma pergunta desta em frente à tua amiga? Se digo uma coisa e acontece outra é porque eu não sei nada, se digo uma coisa e acontece aquilo que previ, sou genial. 
Como ousas perguntar-me tal coisa sabendo que nunca vi o senhor, nem vi nenhum papel sobre ele? Sou bruxa, por acaso?
Como me pedes que dê uma opinião de uma coisa tão grave, em que tenho quase a certeza que o marido dela está praticamente condenado??? Vou dizer tal verdade à tua amiga?

Para dar uma resposta à senhora, inspirei-me naquelas fulanas do Tarot que dá na televisão de manhã: dizer tretas a ver se cola. Respondi timidamente que provavelmente ele teria um longo caminho pela frente para a sua recuperação, lamentando o facto de eu desconhecer os resultados de qualquer exame a que ele tivesse sido submetido.
 Dei uma resposta extremamente evasiva sobre a opinião médica mas que de certeza eles vão decidir pelo melhor. E como estamos em Braga, perto daquelas igrejas e capelinhas todas, e como em Braga, que não tiver fé, não é filho de boa gente, sugeri-lhe ir rezar ao S.Judas Tadeu, advogado dos casos complicados. Mal não fará, não é?

A senhora esboçou um sorriso. Não sei se foi um sorriso de "obrigada" se foi um sorriso educado do tipo "olha-me esta a dizer tretas a ver se colam".

Quando nos afastamos, claro que a minha mãe ouviu valente raspanço da minha parte. Como é que ela se atreve???

0 impressões:

Enviar um comentário