sexta-feira, 30 de outubro de 2015

E foi ao fim de 7 semanas (7!!!) que conheci finalmente as minhas companheiras de casa...

... E tudo porque assei castanhas e bati à porta dos quartos delas para as convidar para comer castanhas.
E elas aceitaram...

Qual álcool qual quê para aproximar as pessoas?

domingo, 25 de outubro de 2015

Crónicas de um banco nas urgências de pediatria

1.

Mãe entra com o seu filho:
- Nós viemos aqui porque o meu filho está com muitas dores neste dedo da mão e mexe-o com muita dificuldade. E olhe como parece que tem um caroço ali no dedo!!!! Estava a jogar à bola e caiu  e...
- Quando aconteceu isso?
- Hum... fez ontem 15 dias.


Conclusão: fractura do metacarpo!

2.
Mãe entra com a filha, com uns dois anos:
- Nós viemos aqui porque a minha filha desde ontem anda a mancar um bocado. Ela não consegue pôr o pè direitinho no chão . E se olhar para o calcanhar dela vê que está um bocadinho avermelhado e depois ganhou uma bolhinha aqui atrás do pé e...
- Hum, os sapatinhos dela parecem novos...
- São sim!!! Estreou-os ontem!- diz a mãe toda orgulhosa.

WTF!

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

O melhor vizinho cá de Lisboa...

... é o alfarrabista que tem a sua loja no andar térreo cá no prédio.

Livros a preços de revistas. Gosto disso.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Como deixar a Alima mal disposta depois do almoço...

.. Subir no elevador da torre de pediatria juntamente com uma mãe lindíssima com um aspecto extremamente cansado e triste e o seu filho também lindíssimo com uma paralisia cerebral grave.


:(

sábado, 10 de outubro de 2015

Cenas que a minha mãe diz (e que acho geniais)

Passeava eu e ela pelo centro histórico de Braga. Passámos por um agente da PSP que estava numa esquina.

- Já viste mãe, agora as fardas dos Polícias portugueses parecem aquelas dos polícias americanos.- comento.
- Humhum... parece mesmo um polícia como nos filmes de acção. E este está balofo. Deve ser dos donut's... - diz ela.


terça-feira, 6 de outubro de 2015

A ti, cara pessoa que agora é-me estranha

Afinal de contas, qual é a probabilidade de nos cruzarmos a 120km da nossa  cidade, num lugar que é meu e que fiz tudo por tudo que fosse teu também?

Qual é a probabilidade de nos cruzarmos a escassos metros de uma casa, que é minha, casa essa onde já fomos muito felizes?

Qual é a probabilidade de nos cruzarmos num lugar que eu te mostrei, lugar que não conhecerias, se eu não te mostrasse e não te contasse as histórias?

Foste mostrar a minha serra a outra pessoa. De certeza que lhe contaste as histórias que alguém te tinha contado (eu), como se fosses um sábio.

Gostaria de saber o que terás sentido, quando tivemos os dois que parar naquela serra para que os carros se cruzassem sem partir um espelho do outro (a estrada é péssima, eu sei, mas a paisagem vale por si)...  Não digas que não sabias que era eu... o meu carro, a cor dele e até a matrícula são inconfundíveis...

Gostaria de saber se terás pensado em mim, filha e neta daquela serra, se pensaste por breves segundos nos bons momentos que passamos naquele lugar. Gostaria de saber se também terias partilhado esse possível pensamento com a mulher que ia ao teu lado no caro.

Gostaria de saber se terás pensado no quanto tu perdeste no dia em que me senti verdadeiramente rejeitada...

Honestamente fiquei a matutar nisso nos 120km que me levariam daquela serra à nossa cidade. Se nos cruzássemos num bar da cidade ou no shopping... ok... mas não... fomos-nos cruzar ali!

Matutei nisso com um sentido de choque e com sentido de humor também... 
... Porque afinal posso ter muitos defeitos, mas foste para um lugar que te faz obrigatoriamente recordar de mim... e onde já foste feliz...


Alima