quinta-feira, 9 de julho de 2015

Da mortalidade infantil

Faço admissão de uma paciente de 60 e poucos anos no hospital. Uma das perguntas que se faz é sobre o historial familiar...


-Então sra. F.,  disse-me aqui que teve seis irmãos, mas que só a Sra. e outro seu irmão é que chegaram a adultos... sabe de que morreram os seus irmãos?- pergunto, enquanto escrevinho no caderno.

- Olhe menina, morreram todos pequeninos. Um foi por causa de uma constipação. Tinha quinze dias, as velhas da aldeia diziam à minha mãe que os bebés não podiam estar assim tão cobertos e pronto, apanhou frio e adoeceu. Outro foi porque a minha mãe, com febre, amamentou o meu irmãozinho. As pessoas diziam que não havia problemas em dar leite ao filho, mesmo estando doente. Outro foi porque ficou constipado, a minha mãe, desceu com ele serra abaixo até à vila debaixo de neve, o médico receitou-lhe uma injecção, a minha mãe levou-o à farmácia e mal lhe deram a injecção, esperneou e morreu.
Uma menina, morreu enquanto dormia no bercinho. Como pode ver, dois morreram por causa das pessoas da aldeia, outro por causa de uma injecção e outro foi porque Deus Nosso Senhor assim o quis. A minha mãezinha perdeu quatro anjinhos sem culpa alguma.

0 impressões:

Enviar um comentário