terça-feira, 23 de junho de 2015

Festas de S.João

Desde pequena que vibro com estas festas na minha cidade, talvez por causa da azáfama de decorar o jardim de casa com motivos festivos horas antes das sardinhadas que se fazem com os amigos, talvez pelo próprio cheiro a sardinha assada, talvez pela azáfama das pessoas num sobe e desce pela avenida para ver todas as barraquinhas, talvez pelo espírito que envolve a cidade durante esta época.
Vibrava com a noitada a dar marteladas ou a esfregar ervas mal-cheirosas a desconhecidos, vibrava com o cheiro delicioso a farturas e a algodão doce que emana a avenida, pela alegria dos bracarenses que contrasta com a Semana Santa, semana muito deprimente cá em Braga. Vibrava com as dezenas de pessoas que reencontro nesse dia, pessoas que provavelmente só me cruzarei num próximo S.João...

Em pequena, S.João para mim significava carroceis. Um por dia, cerca de três por ano. Normalmente o grilo, o dragão ou o típico carrocel com cavalos e girafas. 


Pela primeira vez, no ano passado, lancei um balão. Escrevi lá alguns desejos para que fossem concretizados até ao S.João seguinte. E pelos vistos surtiu efeito :)

Este ano o S.João talvez terá um sabor diferente: do grupo numeroso que existia no ano passado, dois elementos casaram-se, logo estarão na sardinhada da família, quatro elementos não descerão a avenida porque são pais de recém-nascidos, três elementos têm exames na faculdade, dois deles trabalham no dia seguinte... Isto significa que por muita meninice que ainda conserve, todos os outros estão a crescer... Portanto esta treta do Forever Young não se pode aplicar a todos...


Bom S.João a todos! 

0 impressões:

Enviar um comentário