quarta-feira, 11 de março de 2015

Soooo Highhhhhhhhhh

Estava eu no calor dos cobertores enquanto via umas séries, deitada na cama quando alguém bateu à porta do meu quarto de forma violenta.
Fui a correr ver quem estava tão desesperado e constato que é uma rapariga da residência que choramingava e  tremia feita varas verdes. 
Trouxe-a para dentro do quarto e a rapariga em tom  de desespero diz-me que a drogaram e que a tentaram violar. Perguntei quem foi tinha sido e ela disse que foi um amigo meu. Deixei-a no meu quarto para lhe fazer um chá na cozinha e no corredor encontrei o presumível agressor. Perguntei-lhe o que se teria passado. Ele respondeu-me que ambos mais um grupo de amigos estiveram a fumar uns charros e que ela ficou agressiva e psicótica. Expliquei-lhe o que ela me tinha contado ao que ele jurou que por livre e espontânea vontade resolveu acompanhá-los para uns charros. 

Dei o chá à rapariga e ela realmente só falava que ia morrer, que sentia o seu coração disparado, que sentia falta de ar. Tentei sossega-la explicando que marijuana não é tão forte quanto a cocaína e heroína e que isto não passava de uma impressão dela. Mas ela categoricamente negava e achava que eu estava a mentir-lhe. Ficou até agressiva comigo. Aconselhei-a a dormir ao qual era relutantemente aceitou.

No dia seguinte não se recordava de nada. 

3 impressões:

Anónimo disse...

Mesmo sendo verdade ele não te diria, não é?

Alima das Cartas disse...

Não diria... mas conhecendo a pessoa em questão e considerando que estiveram sempre em grupo, achei desde logo muito improvavel...

Anónimo disse...

Sendo assim menos mal. Não é para colocar em causa ninguém mas para dar hipotese a todas as possibilidades. Por vezes nós achamos uma coisa de uma pessoa e na realidade não é bem assim. Por outro lado, insinuar que alguém nos tenta violar sem ser verdade não é ser melhor do que tentar violar.

Enviar um comentário