quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Porque acho que vou para o Inferno...

Esta semana faz 70 anos da libertação por parte dos soviéticos do campo de concentração de Auschwitz-Birkenau.
Sou uma das muitas pessoas que já visitou o local em questão. Visitei-o pela primeira vez em 2012 durante as minhas férias da Páscoa, juntamente com outra portuguesa, um grego e um palestiniano.

Fomos no carro do grego desde a nossa cidade para a Polónia.  Auschwitz fica a 70km de Cracóvia, cidade perfeita para a farra, que não era assim tanta nessa altura porque estávamos na Páscoa (não esquecer que o povo polaco é extremamente católico e Cracóvia é uma espécie de Roma polaca). Aliás, quase me senti em Braga pela Semana Santa com a quantidade de padres, turistas espanhóis e de panos roxos que vi pela cidade.

O museu é deveras interessante como tenebroso. Quase tão tenebroso como o cemitério judaico no Kazimierz de Cracóvia (assunto que merece um post). Simplesmente indescritível e causador de arrepios e de revolta. Até o nosso amigo palestiniano, que por razões que ele bem sabe não grama judeus não ficou indiferente a tamanha desumanidade.


Terminada a visita voltamos para o carro. Antes de um de nós entrar no carro, o dono grita um NÃAAAAAAAAO. Assustada, perguntei-lhe o que se passava.


- Limpem bem os sapatos!!!! Este sítio está cheio de pó. Provavelmente ainda é pó das cinzas destes desgraçados. Não quero judeus em estado de cinza no meu carro. ouviram!?

Foi a risada geral. Foi talvez das piadas mais mórbidas que já ouvi. Tão boa que choramos de tanto rir.  Vamos arder no inferno. Bando de mórbidos que somos. Bando de mórbidos...

0 impressões:

Enviar um comentário