segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Dos nomes,

Eu, a minha mãe e a minha irmã estávamos a comer castanhas em frente à lareira.
Conversa vai, conversa vem e surge o tema "Onde raio tinha a mãe a cabeça para dar nomes tão estranhos às filhas".

- É que a mãe não está a entender! Só eu e a Alima é que temos nomes fora do comum. Os nomes das suas sobrinhas, nossas primas, são nomes de aristrocatas! É Catarinas, é Constanças, é Mafaldas, é Leonores, é Luísas, é Isabeis, é Franciscas, é Marianas, é...! Nomes pomposos! Nomes que ficam para a história! Toda a gente conhece as rainhas Isabel, toda a gente conhece a princesa Leonor...  Elas são mais que nós?- replica a minha irmã em tom divertido.

A minha mãe fica um bocado encavacada.

- Oh filhas, quando vocês nasceram eu também não gramei muito o vosso nome. Aliás, continuo a não gramar, se bem que já me habituei a gritar por eles. Mas o vosso pai com a mania dos significados e das profecias... Sabedoria, pureza, presente de Deus... blá blá blá como se o significado de um nome caracterizasse uma pessoa... Eu também preferia ter uma Eunice ou uma Dulce cá em casa.

- A mãe tem noção que eu e a minha irmã com esta brincadeira temos exactamente o mesmo nome, mas o meu é diminutivo? - perguntei. - Tipo, tantos nomes por aí e foi dar exactamente o mesmo nome às duas filhas

- Oh... mas o que isso interessa? O que interessa é que ambas têm um C. em iniciais o que vos deu o direito de ficarem com um enxoval bordado de linho antigo dos vossos avós! Já viram a vossa sorte?- diz a minha mãe, sorrindo.


Começo a achar que os meus pais escolheram os nomes por causa do enxovalzinho já feito. Enxovalzinho que apodrece na arca no corredor...E tanto o meu primeiro nome como o da minha irmã são péssimos. Nomes de galdérias ou de cantoras pimba mesmo.

1 impressões:

Luna disse...

Ahah eu tenho uma relação amor-ódio com o meu nome (Eunice), parece-me esquisito quando exteriorizado verbalmente...Mas o teu nome é tão giro!

Enviar um comentário