quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Agosto 2014

Fomos passar a noite a uma famosa discoteca na zona de Esposende. Com a graças de não-sei-quem (ok, de um azeiteiro que anda pelo beicinho pela D.) ficamos na ala Vip, local porreiro anti encontrões, anti queimadelas de cigarros e perfeito para cravar bebidas ao barman, meu namoradinho do tempo do Jardim de Infância.

Saio por alguns minutos da pista de dança onde estava com a malta. Sento-me um bocado nos puffs para o aliviar os pés dos saltos altos e para aliviar as dores da coluna (a idade não perdoa mesmo). 

Senta-se um sujeito todo bem parecido à minha beira que esboça um sorriso para mim ao qual eu educadamente repeti o mesmo gesto.

Diz-me ele:
- Sabes, há muita gente que está aqui a curtir isto porque está sob efeito de drogas. 
- Acredito- respondo-lhe.
- Pois, olha, eu sou psiquiatra no hospital X em Viana e estou habituado a ver este tipo de comportamentos. E sabes uma maneira de reparar se a pessoa está sob o efeito de ecstasy e outras drogas?
- Não, conte-me lá... - finjo-me de interessada e de leiga no assunto e mortinha para ver a onde ele quer chegar.
- Pela reactividade das pupilas! Por exemplo, aquela rapariga ali, de vestido vermelho (aponta para alguém que está na pista) ela está claramente sob o efeito de alguma substância. Observa os movimentos dela  do tipo Tónico- Clónico- Mioclónico bla bla bla. E se eu observar as pupilas dela ela deve miose, que significa que...

Eu já não ouvia o homem. Estava a ver quem era a rapariga de vermelho. E ao fim de segundos constato que a rapariga de vermelho é do meu grupo de amigos... Aliás... é... a... minha... irmã!!!
E todos sabem menos o fulano que estava ao meu lado do puff que a minha irmã quando vai para a pista de dança, ela ocupa uma grande área com os seus movimentos todos malucos...

Esbocei um sorriso para ele enquanto ele falava e falava e eu não estava nem aí para lhe cortar a conversa. Mas poucos segundo mais tarde, a rapariga de vermelho, minha irmã, aproxima-se de nós e grita:
- Alima, preciso de mijar, acompanha-me ao WC... já!

Levantei-me do puff e para grande tristeza minha não vi a cara (concerteza de parvo) do sujeito. Pena.

0 impressões:

Enviar um comentário