domingo, 27 de julho de 2014

" É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus"

Mateus 19:24


Ouvi esta frase pela primeira vez pela boca de uma catequista, freira franciscana que pelo aspecto da cara já enrugada, deveria ter uns 60-70 anos. Recordo-me da forma convicta como ela a disse, os seus olhos arregalados como se estivesse a contar uma grande verdade:

"JÁ VIRAM, UM CAMELO ENTRA MAIS FACILMENTE NUMA AGULHA QUE UM RICO NO REINO DE DEUS!"

Recordo-me que na altura o meu raciocínio foi pensar onde é que o cú tem a ver com as calças, isto é porque carga de água se foram lembrar do camelo a passar por uma agulha. E também me recordo que na minha inocência de criança, aqueles que jogavam a lotaria e o totoloto estavam a tentar encontrar um lugar cativo no fogo eterno. Assim como todos os países ricos estavam condenados ao inferno e os pretinhos em África estariam lá em cima a fazer-nos caretas.


Seja como for, eu cresci, tornei-me ainda mais parva, comecei a jogar o Euromilhões sempre convicta que vai ser desta e daquela que vou ganhar o primeiro prémio e, claro, os ensinamentos da catequese foram deixados para trás. Nunca mais me lembrei da agulha e do camelo...


Até que estes dias...


... fui convidada para uma sardinhada na casa da M.. O seu pai, um homem nos seus 60 e picos, de pêra e bigode, com óculos finos intelectuais, fora professor de latim na Universidade Católica. No meu imaginário, se Deus existe, o aspecto do pai da M. deve ser a cópia exacta de Deus.
E entre sardinhas, malgas de vinho e conversa cavaqueira o pai da M. proferiu esse versículo, ao qual eu comentei que já o tinha ouvido há um bom tempo atrás.

E o pai da M. perguntou-me o que era um camelo.
Respondi-lhe na brincadeira que Camelo era um restaurante, que até poderia ser uma cor (camel) ou até uma marca (Camel), mas que de certeza Camelo era um animal tipo o Areias, com duas bossas, mau hálito, com uma resistência à desidratação.

O homem olhou para mim e disse:
- Sabias que camelo é também uma corda daquelas muito grossas e resistentes que era usada para amarrar os navios?

A minha reacção foi uma enorme gargalhada... Cheira-me que a freira franciscana também andou a ser enganada e a enganar este tempo todo...

0 impressões:

Enviar um comentário