domingo, 1 de junho de 2014

Marcha Soldado, Cabeça de Papel, se não marchares direito

... vais preso pro quartel!

Dos meus tempos de miúda se há coisa que deixou mesmo saudades foi mesmo as minhas visitinhas aos locais de trabalhos dos meus pais.
O meu pai durante muitos anos foi militar. Uns anos em Braga, outros nas Caldas da Rainha, outros em Lisboa e tal, mas como filho pródigo a casa retorna, retornava sempre aos sábados ao quartel de Braga para conviver com os amigos.

Muitas tardes de  Sábado eu lá passei no quartel. Eu e filhos de outros militares, amigos do meu pai.
Era uma confraternização fantástica: todos os amigos do meu pai eram meus tios, todos os filhos deles eram como se fossem meus irmãos.
Jogávamos à bola (sim, eram mais rapazes que raparigas no grupo), andávamos de patins ou de bicicleta por lá, trocava-se cromos do bolicao ou tazos das batatas fritas, lia-se os semanários que tinham saído no dia anterior e que se mantinham numa mesa na messe junto aos sofás de napa preta, foi lá na messe onde aprendi a jogar ao Keims, às damas e ao xadrez.
Mas se havia coisa que eu gostava mesmo mesmo, era quando um dos amigos do meu pai, o meu querido tio R., que era o veterinário lá do quartel, nos disponibilizava um cavalo para montarmos no picadeiro. Podiam ser três minutos a trote, mas eram três minutos que valiam horas para nós.

O primeiro tio a desaparecer do palco foi o tio R.. um enfarte do miocárdio o levou muito precocemente. Pouco tempo depois o meu pai. Os outros três dos cinco magníficos que eles eram, estão agora reformados. Um deles já é avó e os outros dois em vias de. 

O que é certo é que essas perdas irreversíveis desfizeram o elo que havia entre os compadres que eram e os filhos dos compadres. Mantenho apenas contacto com dois desses miúdos que agora já são senhores, assim como eu já não sou aquela miúda.

Tenho umas enormes saudades desses tempos. Como digo, era feliz e nem sabia. E não sabia mesmo... 

1 impressões:

Socorro! disse...

Gostei do sentimento de nostalgia... :)

Enviar um comentário