segunda-feira, 17 de março de 2014

Das medicinas alternativas...

Curiosa como sou nesse tema, resolvi inscrever-me numa cadeira opcional na faculdade para ver se poderia aprender qualquer coisa.
O tema de hoje era Acupunctura. 
Antes de ir para a aula, resolvi fazer uma pesquisa pelo Google sobre assuntos deste tipo de técnica para ver se poderia estar realmente dentro da matéria.

O acupunturista estudou medicina na mesma faculdade onde estudo agora. Após a conclusão do curso, optou por viajar para a China onde em sete anos estudou medicina tradicional chinesa. Portanto, não é leigo na coisa.

E pronto, lá falou na filosofia, nos tipos de agulhas, nas vantagens de fazer acupunctura, nos locais a aplicar as agulhas. Chegou a introduzir agulhas em alguns colegas. Facto engraçado foi de uma das minhas colegas se ter queixado de dores lombares. Ele pediu para que ela apontasse precisamente o local. Depois pediu-lhe para mostrar a língua. Imediatamente ele alertou que aquela lombalgia seria derivada de problemas pancreáticos e nunca de problemas de coluna. Aplicando as agulhas, sensações de calor e coisa e tal, confirmou-se o diagnóstico: desordens no pâncreas. 

Como tinha a lição estudada aproveitei para fazer duas perguntas que tinha após a  dita pesquisa:

Pode a acupunctura aliviar ou retardar a sintomatologia de doenças degenerativas como Esclerose Múltipla, por exemplo? Sim se forem detectadas a tempo. E pode aliviar/retardar por décadas.

Pode a acupunctura ser realmente eficaz para ajudar no processo de desintoxicação em dependentes químicos, vulgo alcoólicos, fumadores, toxicodependência (heroínas, cocaínas e coisas tais)? Não muito, infelizmente. 

As coisas interessantes que se pode aprender em 1h30...

0 impressões:

Enviar um comentário