sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Querida mãe

Apesar de não morrer de amores pela área da Cirurgia, acho que tenho o melhor professor do mundo.

Quarta feira, 09h da matina, serviço de cirurgia do Hospital Universitário.
Entra para internamento uma mulher nos seus 40 anos, com dores abdominais (hipocondrio direito) e episódios de vómitos. Na anamnese ela refere que tinha uma dieta à base salsichas (sim, ela era economicamente desfavorecida), que fumava como uma chaminé (2maços por dia)

O professor chama-nos ao gabinete, senta-se no seu cadeirão enquanto nós, quatro marmanjos e marmanjas ficamos especados de pé com o nosso caderno e caneta em riste.

- O que acham que pode ser? Caso cirúrgico ou caso para dar alta?

E pronto, cada um deu o seu ponto de vista. Ele questionava as nossas ideias, nós lá tentávamos defender a nossa causa. 
Sabíamos que ela é uma 4F (female, fourty, fertile e fat), o que pode ser sinal de "pedras na vesícula". E pelo que ela descreveu primeiro teve episódios de dor e só depois vómitos. Portanto, caso cirúrgico quase na certa.

Ao fim da aula chegou-se a tal consenso, com a limitada hipótese de poder ser ulcera duodenal (cuja endoscopia digestiva alta seria feita naquela tarde)

Gostei imenso da abordagem do professor. Obrigou-nos a reflectir e a usar as armas que temos para nos defender. Gostei do debate. Foi possível fazer relações com a patologia e farmacologia que ainda são cadeiras novas para nós. 

Praxis. Gosto disto. 

Alima



0 impressões:

Enviar um comentário