quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Porque acho que vou para o Inferno...

Vivo com quatro muçulmanos que gosto muito muito muito. O texto que vai a seguir regista algumas das particularidades deles pelas quais eu tenho uma espécie de ódio de estimação. E afirmo e reafirmo que sou muito tolerante. Às vezes até acho que demais.

- Os muçulmanos não me deixam meter nada no frigorífico que contenha carne de porco.
- Os muçulmanos só deixam eu beber álcool se eu utilizar os meus copos (e mesmo assim fazem má cara quando uma garrafinha é consumida)
- Os muçulmanos fazem uma dieta quase quase vegetariana, porque só podem comer carne Hallal (que na cidade onde estudamos não existe e só podem comprar carne Hallal a... 350km daqui)! Ou seja, fazem má cara quando eu como chicha  não Hallal. E se tiverem uma deficiência de vitamina B12 foi porque Alá assim o quis.
- Os muçulmanos podem até estar a morrer de dores de estômago, mas são capazes de recusar uma canja só porque pus knorr de galinha não Hallal (Knorr de galinha Hallal existe?)
Os muçulmanos fazem as suas orações várias vezes ao dia, não importa se acordam meio prédio durante a noite ao andar de sapatos pelo corredor e a abrir e a fechar portas.
- Os muçulmanos com quem vivo, nasceram e cresceram na Europa, seus pais são de origem Iraniana e Paquistanesa e conseguem ser mais fanáticos do que muitos dos nossos colegas que são realmente originários desses países.
- Os muçulmanos com quem vivo dizem que eu sou uma leviana quando digo que Religião não impõe regras. O que impõe é a religiosidade das pessoas com a mania de impor regras. E é a religiosidade que a meu ver lixa tudo o que há de melhor numa religião.
- Para eles, a religião Islâmica é a melhor de todas. Mesmo não sabendo nada de nada sobre as outras. E o pior de tudo é que muitas vezes não sabem como defender a sua ideia. Mas as suas ideias são as melhores, porque foram ensinadas pelos seus pais cujos seus pais as transmitiram também. As mulheres na Arábia Saudita não podem conduzir? A homossexualidade é pecado? Está no Corão!!!
- Os meus amigos muçulmanos dizem que eu deveria abraçar a religião deles. Que não há nada melhor que casar-se com um muçulmano. Mas fazem ar de horror quando lhes repito e repito aquilo que um cardeal português disse "Casar com muçulmano dá má sorte todo o ano".
- Os muçulmanos lêem e voltam a ler os ingredientes de qualquer coisa que compram. Pelos vistos há croissants de chocolate que contêm álcool. E o puré congelado de castanhas que se vende no supermercado contém Brandy. E sempre que se vai a um restaurante fazem questão de perguntar se saltearam os legumes ou temperaram o peixe com álcool. E tudo porque o consumo de álcool é proibido. Mesmo na porra do puré de castanhas.
- Os meus amigos muçulmanos são amigos de todos os muçulmanos da faculdade, dão likes em tudo que tenha a ver com Alá. As fotos das meninas no perfil do facebook são personagens da Disney ou fotos do tempo em que eram bebés.


Os muçulmanos que vivem comigo convidaram-me para uma viagem no fim de semana passado. Eles são preguiçosos para preparar uma merenda que seja e gostam imenso de cravar a merenda dos outros.
O que é que a Alima vai de levou de merenda? Umas sandes com tomate, alface, queijo... e (uma coisa que não aprecio muito mas lá tive de fazer o sacrifício) fiambre! Conclusão: passaram larica.

E se continuarem a lixar-me o juízo, a próxima mousse de chocolate que eu meter no frigorífico (e que rapidamente desaparece antes de eu sequer a ter provado), vai conter Brandy!!!

E sim, meus amigos, aqueles brigadeiros lindos e saborosos que vocês enfardaram em poucos minutos continha licor. Esse era o segredo da receita que não vos contei. E vocês enfardaram como se fosse a sobremesa dos deuses. Estúpidos. 


Ok. Vou parar ao Inferno.


Aliás, segundo eles, como consumidora de álcool, porco e especialmente infiel já tenho o lugar garantido.

0 impressões:

Enviar um comentário