terça-feira, 29 de outubro de 2013

Das músicas...

Daquele tempo muito remoto em que se comprava CDs e em que me eram oferecidos quando eu tirava Excelente nos testes, guardo algumas memórias um tanto curiosas.

Recordo-me que cresci a ouvir pop rock dos anos 70 e 80 e alguns cantores brasileiros uma vez que a única altura em que basicamente ouvia música era no carro. E claro, nesse tempo que mandava no rádio era o meu pai.
Então adolescente parva que era, assim que tirava um excelente num teste, no fim de semana seguinte arrastava os meus pais à  Valentim de Carvalho ou ao Hipermercado mais próximo (sim, porque Fnac é uma coisa tãaaao 2000 e tal) para que me comprassem aquele cd daquela banda que aparecia nas revistas Super Pop e Bravo.

Acontece que num Natal os meus pais ofereceram-me o cd do Roberto Carlos. Que seria o meu cd e o cd deles já agora. E quando abri tal prenda perante o olhar atento dos meus primos, fui altamente gozada por terem uns pais brega que me queriam tornar brega e antiquada. E a mesma coisa se passou quando dias depois contei às minhas amigas sobre a minha prenda de Natal. Ah e tal, tens de ouvir Britney Spears e BackStreetBoys e não Roberto Carlos, disseram-me.

Confesso que Roberto Carlos foi indubitavelmente um dos cantores que acompanhou a minha infância. Há letras de músicas que as sei de cor não por gostar delas mas porque numa idade mais pequena, como é normal  nas crianças, tive a capacidade de assimilar tudo. E quem diz Roberto Carlos diz Carlos Paião ou José Cid. Ou então Elton John, Queen, Rolling Stones, Simon and Garfunkel. Algumas bandas/canções deixei de ouvir, outras ainda as oiço. E acho fantástico quando me perco pelo youtube, ligo uma música daquelas que há mais de vinte anos que não ouvia e ainda sei a letra de cor.

E este texto está a ser escrito porque esta manhã quando estava na cozinha com um companheiro de casa, ele ligou no youtube uma música que ele tinha descoberto graças a uma novela e que era fantástica. Disse-me que no Brasil ainda se faziam boas músicas. E quando ele a ligou, para espanto dele e meu, comecei a cantá-la como se a ouvisse todos os dias. A música era interpretada por Lulu Santos. Intitula-se as "Curvas da Estrada de Santos". Original do Roberto Carlos. Aquele que quem ouvisse fazia da pessoa brega.


As dezenas de Cds que coleccionei graças aos meus Excelentes estão parados numa prateleira algures. Mas os clássicos velhinhos, volta e meia são levados para o carro para serem usados. E porque? Porque grandes canções duram para sempre.

1 impressões:

S* disse...

Saudades de ligar o rádio bem alto ao fim-de-semana, com os cd's favoritos...

Enviar um comentário