segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Ao P.

Voltamos a ser amigos há meia dúzia de semanas. E desde então trocamos centenas de sms.
No outro dia apareceste na praia onde eu e a minha mãe estávamos instaladas.
A mãe não te reconheceu à primeira vista porque a ultima vez que te viu foi há quase vinte anos. E a ultima vez que falamos em ti, foi após aquele nosso café organizado pelas nossas mães no qual eu descrevi-o à minha mãe como desastroso. Menti-lhe.

E sentados na minha toalha a escassos metros da minha mãe conversamos imenso.
Confidenciaste-me algo que eu desde então desconhecia: nasceste em África. E eu no meu intimo sorri com essa revelação tua, uma vez que é sonhara duas noites antes com África. E contigo. Afinal sempre foi o meu continente favorito mesmo nunca o tendo visitado. E tu o meu amigo de infância com quem vi n de vezes o Rei Leão e Os Deuses devem estar Loucos.

E confidenciaste também que te envolveras sentimentalmente com uma rapariga há uns anos.
E quando falaste sobre ela descobri que ela estudou comigo no meu curso. No meu ano. Que partimos juntas para Barcelona. Que trabalhamos juntas no mesmo hospital. E que durante uns meses dividimos o mesmo tecto. E que até passaste duas noites na nossa casa em Barcelona justamente numa fase em que eu dobrava turnos e tinha mais de um emprego. E que só viste a companheira de casa dessa rapariga uma vez de roupante quando ela entrou em casa, disse-te "olá" e se enfiou no quarto para dormir.

A companheira de casa dessa rapariga era eu.

Estivemos tão perto um do outro e não sabíamos. Provavelmente não seriamos capazes de reconhecermos um ao outro.

E quando penso nisso faz-me pensar no quanto se diverte Deus com estes joguinhos. Tal e qual como nos filmes indianos...

Quando te foste embora a minha mãe perguntou-me quem tu eras. Respondi-lhe um velho amigo de infãncia. O velho P. com quem via o Rei Leão.

A mãe pouco tempo depois organizou jantar entre todos nós como sabes... :)

Alima

6 impressões:

capitão disse...

E que só viste a companheira de casa dessa rapariga uma vez de roupante quando ela entrou em casa, disse-te "olá" e se enfiou no quarto para dormir.

... de roupante ???? Não será ... de rompante?
Ai! Ai! Ai!!!!

Provavelmente não seriamos capazes de reconhecermos um ao outro.

... de conhecermos ??? Não seria melhor --- de nos conhecer um ao outro.

capitão disse...

ou será de ... roupão???

capitão disse...

ou ainda --- de rompante de roupão???

Lia disse...

Preciso perguntar-te, Alima: Tu acreditas no destino?

Alima das Cartas disse...

acredito pois, lia!

Lia disse...

:)

Enviar um comentário