quinta-feira, 4 de julho de 2013

Querida Alima que vejo no espelho,

Às vezes surpreendes-me com a frieza com que encaras as coisas. Dois dos exames mais difíceis de todo o curso que estás a tirar foram feitos no espaço de 22horas de diferença. E passaste nos dois. E um dos examinadores a fazer perguntas deve ter sido da PIDE ou membro de algum auto-de-fé noutra vida da maneira como nos deixa constrangidos.


Ficaste encavacada em algumas perguntas orais que te fizeram mas o que é certo é que te aprovaram. Às vezes mostrar demasiado confiança em algumas questões que sabes bem debater é mau, porque ficas trémula e nervosa quando te saem perguntas com que não tens tanta afinidade. O ideal é o meio meio. Calma e segura e não nervosa e muito segura. E deixa o teu sentido de humor em casa. Aqui para nós, os professores gostam que o ambiente seja pesado numa sala de exame. 

Tenho orgulho de ti (apesar de teres deitado umas três lágrimas mal acabaste o exame de hoje, sua lamechas...Ainda tentaste provocar uma lágrima durante os uns bons minutos durante o exame de hoje para ver se acabava o martirio... mas... nada... só quando mal saíste da sala é que te deu uma de Madalena.)


E bem vinda ao terceiro ano de medicina, c*r*lho caramba! Sejam bem-vindas senhoras Férias!



PS.: E como prometeste no ano passado, este verão vais ler escritores portugueses. A começar pelo Eça de Queiroz e a sua Brasileira de Prazins! Mas por agora, descansa bem os olhos. E desintoxica-te da cafeína.

0 impressões:

Enviar um comentário