quarta-feira, 17 de julho de 2013

Carta aos livros que ando a ler nas férias

Verão para mim sempre implicou ler e ler e ler.
Este ano resolvi pegar nos livros que fui coleccionando desde a minha adolescência e comecei a lê-los pela primeira vez. Os meus pais sempre nos induziram a coleccionar algo. Eu comecei a  coleccionar livros. Os clássicos da literatura com capa em couro e estampados a letras e desenhos dourados são os meus favoritos.

Comecei na segunda feira a ler "O Primo Basílio" do Eça de Queirós. Quando o comecei a ler senti que estava a ler outra vez Os Maias que li no Verão de 2002.

Se gostei do Primo Basílio? Não muito. A protagonista a meu ver era uma franganota. Volta e meia tinha os seus desmaios, as suas febres, as suas palidezes e acaba o livro com delírios e depois morta.

Para uma heroína, a Luiza é uma fraquinha. No entanto mereceu o amor de dois homens: o amor do marido e o do primo.

Começo a chegar à conclusão que toda a donzela mesmo nos dias de hoje, para ser amada, tem de ser muito sensível. Tem de ter maleitas e queixinhas estúpidas. Tem de ser fútil. Tem de amar sushi e roupinha fofinha. Tem de ser minimininimimi. Tem de ter um grupo de amigas futeis e tontinhas. Tem de admitir que não sabe fritar um ovo, apesar de frequentar workshops para saber cozinhar. Tem de saber tirar fotos com o seu telemovelzinho com um biquinho na boca.

Infelizmente eu sou do tipo robusta. Nunca tirei workshops para saber cozinhar. Simplesmente tive que aprender a improvisar para ver se não morro à fome. As minhas amigas são maioritariamente nortenhas. De gema. Somos umas descendentes da Maria da Fonte. Pomos sempre os pontos nos is. Sabemos berrar quando precisamos de berrar e até se for preciso sabemos mandar alguém a um certo sítio. Odeio sushi.
Não tenho maleitas porque as evito. Se sei que posso vir a ter dores nos pés, nem chego a comprar os tais sapatos. Sou uma autodidacta, sei fazer de tudo um pouco porque aprendi...se for preciso cortar relva, eu corto, se for preciso pintar uma parede, eu pinto. As nossas fotos são tiradas com grandes sorrisos na cara a mostrar todos os dentes. Somos anti Luizas que encornam maridos e que depois se acham as maiores vítimas...


E pensando bem, deve ser por isso que ainda estamos solteiras...

Próximo livro: A Brasileira de Prazins d' Camilo Castelo Branco

2 impressões:

capitão disse...

Eu gosto de mulher assim, para lavar e durar. Mas tenho no subconsciente a "Receita de Mulher" do Vinicius de Moraes, que aprendi na adolescência, e que, qual vírus informático, entra em todos os programas onde haja mulher.
Acho que é da ... Natureza.
Eu tenho um texto sobre "Beleza" que lhe pode eventualmente agradar - http://abeiralethes.blogspot.pt/2009/01/beleza.html
Quando as mulheres muito belas põem a fasquia demasiado alta correm o risco de afastar bons parceiros e de atrair disfunção.

capitão disse...

Esqueci de pôr as duas referências do Vinícius:
http://abeiralethes.blogspot.pt/search?q=receita+de+mulher
http://www.viniciusdemoraes.com.br/site/article.php3?id_article=192

Enviar um comentário